As 7 crises das empresas: inicial e do capital de giro

No primeiro artigo a respeito das 7 crises, vamos abordar os problemas mais comuns enfrentados no início da atuação empresarial e questões relacionadas ao capital de giro

No artigo de hoje, vamos falar sobre as duas primeiras crises enfrentadas pelas empresas, dentro do conceito das 7 crises apresentado no último post do blog.

As 7 crises das empresas

1 – Crise inicial

2 – Crise do Capital de Giro

3 – Crise de Delegação

4 – Crise de Liderança

5 – Crise da Expansão

6 – Crise da Prosperidade

7 – Crise da Sucessão Administrativa

1. A crise inicial

A falta de planejamento aparece como um dos principais problemas enfrentados pelos gestores brasileiros, independentemente do porte da companhia. E uma das causas para isso está no fato de muitas empresas não desenvolverem um planejamento estratégico – ou pior: até contam com o documento pronto, mas não o usam como o guia necessário. Sem ele, é muito comum que as empresas não encontrem o rumo certo, sem estabelecer critérios para o crescimento.

Junte-se a isso o fato de uma companhia estar, talvez, em um dos seus momentos mais críticos – o índice de falências entre empresas de até 2 anos é o mais alto, conforme apontam os indicadores. Por vezes, existe o conhecimento a respeito da operação, mas falta experiência administrativa para lidar com o negócio como um todo. Além disso, muitas companhias não investem em um sistema de informação – como os ERPs – ou não contam com o capital inicial necessário para fazer com que o negócio ganhe corpo.

2 – A crise do Capital de giro

Em geral, é neste momento que os empresários buscam uma consultoria empresarial, pois a empresa começa a sofrer com perdas financeiras, tendo seus resultados afetados. O capital de giro é o recurso usado para financiar o dia a dia das operações empresariais, seja para manter os estoques, financiar clientes e atender as despesas operacionais. Ou seja, conhecer o fluxo financeiro é fundamental para fazer as engrenagens funcionarem da forma como se deve.

Em geral, alguns fatores interferem diretamente nesses problemas de forma individual ou em uma mescla entre eles:

- Redução ou aumento do volume de vendas

- Volumes de estoques inadequados

- Alteração dos prazos de vendas

- Inadimplência

- Aumento de custos

Manter o capital de giro sadio é fundamental para a empresas conseguirem dar conta de suas despesas, especialmente se trabalham com recebimentos e pagamentos a prazo, pois necessitam contar com dinheiro em caixa. A gestão desses recursos é um dos pontos mais complexos para os administradores e, em função de sua importância para a empresa, fazer ajustes com o apoio de uma consultoria empresarial pode ser fundamental, especialmente se a companhia começa a sofrer com falta de recursos e a necessitar de aportes externos, como empréstimos.

O primeiro sinal que a empresa emite quando tem problemas com capital de giro é a falta de recursos para pagar suas contas em dia, tendo que recorrer a limites de conta, antecipação de recebíveis, empréstimos ou simplesmente se tornando inadimplente.

Seu capital de giro se tornou um problema? Quer tornar sua empresa mais saudável? Tire suas dúvidas com a Jaworski Consultoria.