4 sinais que nem sempre indicam o crescimento da sua empresa

São Paulo – O crescimento de uma empresa está diretamente associado ao faturamento e consequentemente ao lucro gerado. “O que importa é a última linha do demonstrativo de resultados: o lucro. O faturamento e as vendas são indicativos de que a empresa está crescendo, mas não são se for à custa de um marketing caro”, explica Cassio Spina, investidor-anjo e fundador da Anjos do Brasil.

E, para que o seu negócio cresça de forma saudável, é necessário que todas as áreas do empreendimento sigam o mesmo ritmo. “O departamento de recursos humanos, por exemplo, tem que estar preparado para atender a demanda de recrutamento e seleção”, explica Antonio Paulo Terassovich, professor especialista em pequenas e médias empresas da FIA.

Gilberto Sarfati, professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP), explica que, às vezes, empreendedores não têm o perfil gerencial recomendável para visualizar os processos que são vitais para a transição de uma pequena empresa para média ou grande. Com ajuda dos especialistas, confira sinais que podem enganar e sem sempre indicam que a sua empresa está crescendo.

1. Mais funcionários

As demandas do negócio aumentaram e a equipe não é suficiente para acompanhar o ritmo. O aumento do número de funcionários da empresa, de maneira isolada, não é uma métrica confiável para afirmar que o empreendimento está crescendo.

Segundo Paulo Pacheco, professor de administração do Ibmec de Minas Gerais, o empresário corre o risco de tornar a empresa menos eficiente. “Você pode começar a inchar a empresa, e em vez de crescer, passa a ter um aumento de custos”, explica Spina. Terassovich compara este movimento com o trânsito de uma cidade, pois a estrutura da empresa pode passar a ter que lidar com gargalos e não conseguir entregar resultado mesmo com uma equipe maior.

2. Números inflados

Investir muito em marketing online e acompanhar métricas como número de page views e seguidores em páginas das rede sociais são movimentos significativos e importantes, mas com ressalvas. “É preciso avaliar bem qual é a motivação que as pessoas estão acessando esses canais e se elas se convertem em cliente ou usuário frequente”, explica Spina.

Além disso, o empreendedor precisa avaliar quanto está sendo gasto no marketing e avaliar qual é o retorno desses números na receita do negócio.

3. Aumento de faturamento

Para se ter lucro, é evidente que as despesas não podem ultrapassar a receita. Portanto, focar somente na métrica do faturamento não sinaliza que a empresa está crescendo. “É um erro que acontece frequentemente. Se a empresa está aumentando receita, mas o custo aumentou, as despesas são maiores do que a geração de caixa”, explica Sarfati.

Nesse caso, para ter certeza de que os números estão a favor do empresário, é importante ter um planejamento estratégico atualizado. “O ideal é que a demanda aumente, com um ganho de produtividade, para conseguir escalar o seu negócio”, completa Spina.

4. Abertura de novas unidades

O investimento na inauguração de novas filiais não significa necessariamente que as vendas do empreendimento irão crescer. Para Terassovich, o aumento da receita virá com um plano estratégico de quantos clientes novos irão frequentar essas novas unidades, caso contrário, o crescimento não virá com o aumento das vendas.

Fonte: Revista EXAME